Café com Vodka
08:58
21:58
21:55"Se naquele instante - refletiu Eugênio - caísse na Terra um habitante de Marte, havia de ficar embasbacado ao verificar que num dia tão maravilhosamente belo e macio, de sol tão dourado, os homens em sua maioria estavam metidos em escritórios, oficinas, fábricas… E se perguntasse a qualquer um deles: “Homem, por que trabalhas com tanta fúria durante todas as horas de sol?” - ouviria esta resposta singular: “Para ganhar a vida”. E no entanto a vida ali estava a se oferecer toda, numa gratuidade milagrosa. Os homens viviam tão ofuscados por desejos ambiciosos que nem sequer davam por ela. Nem com todas as conquistas da inteligência tinham descoberto um meio de trabalhar menos e viver mais." — Olhai os Lírios do Campo, Erico Verissimo.  (via velhocaos)

(Source: nuvens-vens, via velhocaos)

10:51
10:36"[…] Penso que não cegámos, penso que estamos cegos, Cegos que veem, Cegos que, vendo, não veem." — (SARAMAGO, José; Ensaio sobre a cegueira; 1995). (via re-mar-amar)
09:57
22:45 lettersto-savemyself:

What They Can Proudly Say (258/365)
22:42"Interpretação é uma coisa relativa, onde eu leio e vejo o mar, outro lê e enxerga o céu." — Vilanias  (via capitule)

(Source: vilanias, via co-razonn)

22:41
22:39"

Will I be something?
Am I something?

And the answer comes:
You already are.
You always were.
And you still have time to be.

" — Anis Mojgani   (via heartnothate)

(Source: happypeopledodrugs, via evyss)